Rate this post

Para quem ainda não sabe, alojamento conjunto é quando a mãe e o recém-nascido dividem o mesmo quarto, um ao lado do outro, 24 horas por dia, independente de o espaço ter outras gestantes ou não. Ou seja, o bebê não fica no berçário, como é costume em muitas maternidades, mas junto, no quarto, com a mãe.

Mas afinal, por que essa prática, que antes não era tão comum assim (os bebês ficavam no berçário e vinham para mamar ou por períodos determinados) passou a ser tão indicada?

A verdade é que essa prática tem vários benefícios, tanto para o bebê quanto para a mãe, e vou explicar um pouco sobre isso agora.

BENEFÍCIOS DO ALOJAMENTO CONJUNTO

Incentivo ao aleitamento materno: Está claro que, essa aproximação mamãe-bebê facilita e incentiva o aleitamento materno, já que a amamentação acontece de acordo com a necessidade do bebê e não de 3 em 3h como costuma ser o padrão em quase todas as maternidades.
Aumento da produção de leite e volta mais rápida do útero ao tamanho normal: Outra coisa, como a criança vai mamar com uma frequência maior, a produção de leite também será melhor e o útero volta ao seu tamanho normal mais rápido.
Possibilidade de acompanhar de perto os testes neonatais: Outra coisa super importante sobre o alojamento conjunto é que, com o filho por perto, os pais podem acompanhar a realização dos testes neonatais, que são os testes do coraçãozinho, do pezinho, do olhinho, entre outros.
Vínculo entre mãe e filho: E, como não poderia deixar de ser, essa relação mais próxima entre mãe e filho nas primeiras 24 horas fortalece, desde muito cedo, o laço entre mãe, filho e o pai, especialmente quando o marido é o acompanhamento no quarto.
Possibilidade de tirar dúvidas com a equipe: Ainda, como os primeiros cuidados são cercados de dúvidas, os pais também podem esclarecer todas elas com a equipe de saúde que fará as visitas e oferecerá os cuidados ao bebê regularmente no quarto.
Menor risco de infecção hospitalar: E, por fim, mas não menos importante (pelo contrário!), no sistema de alojamento conjunto o risco de infecção hospitalar é muito menor. Assim como as chances de complicações de saúde materna e do recém-nascido.
Mas importante: bebês com baixo peso, com risco de vida, com patologias ou que a mãe não possa prestar os primeiros cuidados devem continuar recebendo toda a atenção necessária no berçário, normalmente.

Ainda, enquanto estiverem no hospital, a mãe e bebê devem ser avaliados diariamente. Além disso, a mãe tem direito a um acompanhante e também pode receber visitar todos os dias que permanecer no hospital, inclusive do irmão do bebê, caso você tenha outro filho.

Para receber aviso de vídeos novos, ative o alerta de notificações (clicando no sininho).
Confira outros vídeos que você irá curtir:
BABY BLUES PÓS PARTO – VOCÊ SABE O QUE É?

19 COISAS QUE NÃO SE DEVE FALAR PARA A MULHER NO PÓS PARTO

MALA DA MATERNIDADE DA MAMÃE

GRAVIDEZ – 30 COISAS PARA FAZER ANTES DO BEBE CHEGAR

SEXO NA GRAVIDEZ – 7 COISAS QUE VOCÊ PRECISA SABER

https://www.macetesdemae.com/
https://www.facebook.com/macetesdemae/
https://www.instagram.com/macetesdemae/

https://br.pinterest.com/macetesdemae/

Produção:
https://www.laranjaazul.com.br/

Maquiagem:
@nanyferreiramakeup

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>